Atualmente existe(m)  9  itens.

1. Como é possível comunicarmo-nos com os Instrutores Celestiais?
2. O que dizem os Instrutores sobre “O Livro de Urântia”?
3. O que é a Missão Instrutora?
4. O que é o “Livro de Urântia”?
5. O que é o “Tempo de Correção”?
6. O que é uma Revelação?
7. Qual é a confiabilidade dos Transmissores/Receptores (T/R’s)?
8. Quem são os Instrutores?
9. Quietude: Propósito e Prática




>

   

1. Como é possível comunicarmo-nos com os Instrutores Celestiais?

Disse o Instrutor Rayson:

“Quando estou com vocês, estou com a sua consciência”

Embora o tema de “como” um instrutor pode comunicar-se conosco, de um lugar diferente, seja tecnicamente um processo bem mais complexo, as palavras do Instrutor Rayson o explicam bastante bem, se reconhecermos e sentirmos a ligação que permite o andamento desse processo de comunicação. A troca de informações é perfeitamente “real” e completa o bastante para transmitir conceitos, imagens, sentimentos, palavras e combinações de todos eles. O processo melhorará ainda mais, à medida que os instrutores aprendam a utilizar os novíssimos circuitos de comunicação do universo, que não estavam originalmente disponíveis quando a Missão começou.

O Instrutor Rayson respondeu à pergunta de um aluno sobre a ligação que permite a realização de tais comunicações.

Do Instrutor Celestial Rayson:

“Bem, não é como se eu fosse uma pequena fada sentada sobre o seu ombro. Mas eu estou com a sua consciência, o que significa que quando você “sente” minha presença em sua consciência, você desperta para ela…

“Este é um processo de consciência expandida. Você pode às vezes sentir minha presença, sacudir a cabeça e dizer: “Rayson está aqui” e então dirigir-se a mim. E isso é um fato; é energia não-empírica que você sente, contudo você sabe que estou aqui”.

“O mesmo ocorre com o seu (Criador-) Irmão Cristo Micael, embora a energia dele seja tão difusa que se torna uma corrente contínua de “presença”. Alguns de vocês se familiarizaram tanto com ela, que não mais a reconhecem como “presença”, embora ela seja assim.

“Quando estou com você, estou com a sua consciência. Eu também viajo pelo seu planeta, na forma de entidade moroncial. Há milhões de nós aqui, como vocês sabem, então ocorre um constante ir-e-vir. Mas acho que havia mais em sua pergunta, estou certo?

Aluno: Sim. Eu estava pensando nas pessoas que desejam começar o processo de T/R (transmissão-recepção) e comunicar-se por escrito – escrita automática – ou pela voz. Ao sentir sua presença, podemos começar a falar com você?

Rayson: “Sim, exatamente! Eu também sou contactável pela consciência. Digamos que eu não estou presente e você pensa ou diz em voz alta: “Rayson, posso falar com você?” Então, pelos circuitos que foram religados, eu tomo conhecimento de seu pedido e posso fazer-me “presente” – coloco o termo entre aspas – estarei “presente” junto a você para conversar, embora eu possa estar em outro lugar.”

“Sim, você pode iniciar seu contato T/R ou conversar comigo, com Micael ou Nebadônia, ou com qualquer outra das benevolentes Criaturas de Luz que trabalham para Micael. Estamos disponíveis. Você pode iniciar o processo por conta própria, ou pode tomar consciência de nossa presença dentro de você, e isso também é iniciação. Ela é idealmente desenvolvida através da aceitação decidida e sem preconceito de que isso é possível, que é factível e que você pode fazê-lo. E será uma experiência sua. Isso pode exigir um pouco de provocação, como na escrita automática, e a provocação normalmente requer uma pergunta. Requer também um pensamento consciente do que você acha que “deveria ser dito”, de forma que você ouça o que “realmente está sendo dito”. Isso é talvez mais fácil de fazer por escrito, pois você pode iniciar com uma primeira frase para si mesmo, dizendo: “Estou ouvindo um instrutor celestial que me fala, e esse instrutor celestial está dizendo: “…” A partir daí você pára de perguntar e então escreve o que vier à sua consciência.

“Na verdade, há muito poucas pessoas que não podem participar desse processo. Há muito mais pessoas que podem, do que aquelas que não podem.” Rayson, Missão Instrutora em Northern Colorado, EUA, 12 de Fevereiro de 2003 
Voltar


   

2. O que dizem os Instrutores sobre “O Livro de Urântia”?




Nas palavras do Instrutor Celestial Tômas:

“Seu mundo recebeu o Livro de Urântia porque seus pedidos a Deus foram respondidos.

“Vocês receberam muitas bênçãos e estão começando a ver os benefícios desta revelação mais recente ao seu mundo, assim como muitas boas coisas que estão acontecendo em decorrência do curso natural dos acontecimentos.

“É uma observação de muitos de nós, que o intervalo relativamente curto entre a quarta e a quinta revelações ao seu mundo é um fato incomum, que deveria ser interpretado por vocês como altamente misericordioso. Os pedidos daqueles que ardentemente buscavam a Deus foram ouvidos e respondidos. Mas os planetas que seguem um curso evolutivo mais normal não recebem suas revelações em tão curto período de tempo.” Tomas, Spokane, Washington, EUA, 1 de Fevereiro de 2000.

Nas palavras do Instrutor Celestial Ham:

“Permaneçam leais à verdade viva e tudo mais entrará em perspectiva para vocês.

“Seu planeta está sendo beneficiado por um esforço maciço para a elevação espiritual. O Livro de Urântia foi um precursor dos ensinamentos mais pessoais que vocês vêm recebendo no último quarto de século. Sim, essas duas revelações são ambas parte do mesmo plano, certamente.

“Como sempre parece acontecer com seres humanos imaturos, quando alguém recebe parte da verdade tende a exagerar essa parte e fazê-la parecer que é o todo. O Livro de Urântia jamais foi planejado para ficar órfão. A verdade é sempre viva; não pode ser cristalizada em um simples livro. O Livro de Urântia contém muitas verdades avançadas, que ajudaram a preparar o caminho para um esforço instrutor mais amplo. Mas ele não é, certamente, a verdade final ou a revelação final para este período de tempo. Todo esse esforço é para preparar o seu mundo para eventualmente receber outro Filho.

“Vocês perderam tanto terreno e sofreram tantos retrocessos, que esforços extraordinários estão sendo feitos para levá-los ao nível em que um Filho possa ser recebido com gratidão e não com ressentimento. Seu mundo tem um longo caminho à frente, antes que isso seja possível. Não tenham medo, meus filhos, de serem forçados a escolher entre a lealdade a um livro que contém verdades e a lealdade a um Instrutor que transmite verdades. Em vez disso, permaneçam leais à verdade viva, e tudo entrará em perspectiva para vocês.” Ham, Nashville, Tennessee, EUA, 5 de Novembro de 2000.

Nas palavras do Instrutor Celestial Alana:

“Eu percebo que essa informação está no Livro de Urântia, mas nem todos os leitores destas transcrições leram aquele livro. De qualquer forma, ele é um manual.

“Nós Instrutores estamos aqui para aplicar os ensinamentos do livro às suas vidas diárias.” Alana, Grupo da Missão Instrutora em Southeast Idaho, Pocatello, Idaho, EUA, 8 de Junho de 2001

Nas palavras do Instrutor Celestial Ham:

“Há muitas coisas no Livro de Urântia que são preparatórias desta Missão Instrutora.

“Os instrutores estão expandindo e continuarão a expandir seu entendimento espiritual da realidade. A verdadeira evidência da abertura dos circuitos (espirituais) do Sistema estará em suas experiências de vida. Muitas mudanças vocês verão, experimentarão e testemunharão no seio do povo de Urântia.

“A maior parte dos receptores de nossos ensinamentos está sendo eventual e propositalmente levada ao Livro de Urântia, porque ele é extremamente acurado. Em nossas instruções aparecem alguns novos conhecimentos que são inevitáveis, se vocês levarem em conta este tipo de comunicação. O Livro de Urântia é uma fundação de conhecimentos sobre a qual construiremos juntos e estamos estimulando seu maior estudo e entendimento.” Ham, discurso para a Fraternidade Urântia, Los Angeles, Califórnia, EUA, 1 de Fevereiro de 1992.

Nas palavras do Instrutor Celestial Abraão:

“Todo o material registrado neste mundo jamais poderia substituir sua fonte de verdade.

“É tempo de realmente voltar-se para dentro e confiar na fonte interior. Vocês poderiam facilmente ler qualquer material registrado e acreditar ou não. É a sua fonte interior que lhes revela se o que vocês lêem é verdadeiro ou falso.

“O Livro de Urântia está realmente bem recheado de conhecimentos, significados e valores verdadeiros, mas esta ferramenta deve ser utilizada em conjunto com o seu Fragmento Interior do Pai. O Livro de Urântia não deve ocupar o lugar daquilo que os faz queridos e preciosos à vista de Deus. O Livro de Urântia pode ensinar sobre o amor, mas não pode amar. Ele pode falar sobre a verdade, mas é a própria alma de vocês, em comunicação com o Ajustador do Pensamento, que lhes pode revelar a autêntica verdade contida nesse livro.

“Vocês estão crescendo, embora o processo possa ser doloroso. Estão começando a confiar na orientação de seus próprios Ajustadores. Utilizem o Livro de Urântia como uma ferramenta e não como um mapa até o Pai. Posso dizer, sem qualquer dúvida, que tudo vai realmente bem e seguindo bom curso.” Abrão, Grupo de Woods Cross, 1 de Abril de 1996. 
Voltar

   

3. O que é a Missão Instrutora?



Nas palavras do Instrutor Celestial Ham:

“Primeiro: Este é um curso de estudos de profunda sondagem psicológica. Ele não se destina a fazê-los sentir-se bem, instantaneamente, de forma a esquecer seus problemas por um momento. Não, para isso vocês têm suas igrejas; têm os seus divertimentos. Estas sessões são planejadas para causar alguma elevação psicológica no início, fazer cada um enfrentar diretamente as realidades da vida e as realidades internas de sua estrutura psicológica mais íntima.

“Não se pode pintar uma parede de madeira podre e esperar que ela fique forte. Devem-se substituir as tábuas, uma por uma. Vocês devem solidamente construir seus alicerces psicológicos, antes que haja outros tipos de interação entre os alunos da Missão Instrutora.

“Em segundo lugar: Nosso currículo foi concebido para ajudá-los a entender-se uns aos outros no grupo e por extensão entender a todos os outros. Estas aulas tocam muitos pontos sensíveis e muitas interações de grupo são dolorosas e difíceis mas, por meio delas, vocês começam a expandir suas mentes. Simplesmente para dar os primeiros passos no entendimento de outros que são diferentes de vocês, que pensam diferente, que vêem o mundo de maneira diferente. E é de muita valia para cada um de vocês aprender quão diferentes as pessoas podem ser.

“Vocês começam a ver os próprios subterfúgios psicológicos que cada um emprega, para sentir-se confortável em situação de grupo. É para sua educação, para sua instrução espiritual que estas lições são difíceis e não estão sempre destinadas a simplesmente fazê-los sentir-se temporariamente bem, antes de voltarem para suas vidas. Estas lições são parte de suas vidas, parte de sua experiência de crescimento neste mundo. Não estão soltas no ar.

“Isso necessariamente toma tempo. E vocês não podem começar realmente a ganhar equilíbrio espiritual, nós estimamos, em menos de quinze a vinte anos. Estas lições transformarão vocês. Elas mudarão sua visão do mundo e sua maneira de entender a si mesmos e aos outros, bem como ao próprio universo. Tentamos fazer isso de maneira equilibrada. Procuramos dar-lhes ferramentas a serem utilizadas em suas vidas, para ajudar seu equilíbrio e sua estrutura psicológica.

“Não, nós não falamos de naves espaciais aterrissando aqui para mudar o mundo e resolver seus problemas humanos. Não. Não falamos de novos messias ou mesmo da segunda vinda (de Cristo), para intervir e resolver seus problemas humanos. NÃO. Estamos lenta e gradualmente começando a equipar alguns mortais para ajudarem outros mortais. Mesmo enquanto falamos, cada um de vocês está sendo colocado, recebendo contatos, recebendo tarefas, por assim dizer, para ampliar suas consciências e também para ampliar sua educação para o que for necessário.

“Estes grupos são pequenos e cada pessoa que é um membro leal, que absorve estas lições, é observada por muitos anjos. Vocês estão certamente sendo colocados onde possam fazer o maior bem para o maior número de pessoas. A preparação, então, é tudo.

“Não somos um movimento de massas. Não procuramos ganhar muitos seguidores para nos tornarmos uma religião. Simplesmente desejamos ajudar cada um a entender que ele/ela é absolutamente essencial para o sucesso da Missão como um todo. Cada um de vocês aqui está em contato com muitos mais. E vocês têm mais influência do que imaginam. Ao falarem, ao se deslocarem, ao levarem a verdade para um mundo vastamente necessitado dela. O Mestre disse que ninguém estará preparado demais quando o Pai chamar. E assim é.

“Estes grupos, por si sós, não se destinam a ganhar influência sobre as massas. Eles se destinam a transformar os alunos. E são os alunos que se tornarão influentes. Eles sim.

“Em terceiro lugar: É importante que qualquer soma em dinheiro acumulada pelos grupos seja utilizada pelos grupos, e utilizada totalmente. Não desejamos acumular dinheiro ou propriedades. Estes grupos são influentes apenas enquanto se mantiverem livres de ligações políticas ou eclesiásticas. Nós nos concentramos no indivíduo, não em um grupo, movimento ou alguma espécie de novo “ismo”. Deixem a religião organizada para os que as organizarem. Mantenham-se longe desse tipo de armadilha.

“Estamos estabelecendo estas pequenas escolas, estas pequenas salas de aula, em todo o planeta. Temos muitas no México, na América Central e na América do Sul, e diversas na Europa. Estamos começando a abrir algumas até na Ásia. Todas essas escolas são coordenadas. Todas têm um currículo determinado. Isso pode às vezes parecer estar sendo feito ao acaso, mas lhes asseguro que não é assim.

“Cada lição é importante. E a cada semana é importante que vocês meditem sobre a lição e ampliem seus horizontes um pouquinho mais. Cada aluno é supremamente importante. Valorizamos cada um de vocês que vêm para estas escolas. Cada um está cercado por influência angelical. Cada um é modificado em sua vida. Vocês são desviados de caminhos errados e conduzidos aos corretos. Sua preparação é para toda a vida. Não se trata simplesmente de ser um pastor que prega. Não. Vocês estão imersos na vida; imersos no trabalho; imersos no seu mundo. E por estas pacientes lições, semana após semana, vocês estão sendo gradualmente transformados. É esse crescimento e transformação espiritual que por si só permitirá aos anjos colocá-los onde devem estar. Nem por um momento pensem que são deixados soltos ou sem ajuda e orientação, pois não é assim. A cada um de vocês são dadas tarefas, oportunidades, problemas a resolver, como parte deste treinamento. Estas escolas não existem no vácuo. Vocês jamais são retirados de suas vidas. Nunca se lhes pede que deixem suas famílias, suas comunidades ou seu trabalho. Não se lhes pede dinheiro, voluntariado ou propriedades. Tudo que se lhes pede é a humilde adesão aos ensinamentos. Isso é tudo que é necessário.

“O Pai que criou este vasto universo se preocupa com cada um de vocês, de forma pessoal e completa. Sim, no futuro haverá um tempo em que vocês terão mais a fazer, maiores tarefas, etc, mas é extremamente importante ter paciência, ser humilde e submisso a este processo, enquanto ele avança.” Ham, Nashville, Tennessee, EUA, 21 de outubro de 2001. 
Voltar

   

4. O que é o “Livro de Urântia”?

O Livro de Urântia foi escrito para ser um complemento a todas as religiões, em vez de uma religião por si mesmo. Ele funde ciência, filosofia e religião em um todo coeso e apresenta uma genuína cosmologia. Foi redigido por personalidades celestiais, cada uma delas amplamente qualificada para explicar os assuntos em pauta. A autoria de cada documento está no índice da lista de “Títulos dos Documentos” e em outros lugares.

O livro é organizado de cima para baixo. Em outras palavras, começa com a natureza da Deidade e a Sua morada no centro de toda a Criação, explicando as características estruturais e administrativas de cada camada sucessiva, do centro para os limites exteriores da Criação.

Parte I – O Universo Central e os Super-Universos:

Depois do Preâmbulo que fornece definições e contextos verbais, a primeira seção fornece uma descrição dos atributos da Deidade e de outros seres criados em perfeição pela Trindade. Ela também cobre a cosmologia e a evolução do Universo-Mestre, descrevendo, nos 3 primeiros Documentos, as funções das várias ordens de personalidades celestiais criadas.

Parte II – O Universo Local:

A segunda seção contém a evolução da criação física de Nébadon, começando há cerca de 400 bilhões de anos e prosseguindo até o tempo presente. As várias ordens de seres criados são descritas conforme operam no universo local. Esta seção compreende 24 Documentos.

Parte III – A História de Urântia:

Esta seção começa com a criação do nosso sistema solar e explica a implantação da vida, a evolução das formas de vida através das épocas geológicas e os detalhes da evolução criativa do homem. A história de nossa civilização e a evolução das diferentes religiões são descritas em detalhes, juntamente com a evolução da alma, o relacionamento que temos com os nossos Ajustadores do Pensamento (ou Fragmentos do Pai), a sobrevivência de nossa personalidade e nossas contribuições para o Ser Supremo. Esta história de nosso planeta, Urântia, se estende por 62 Documentos.

Parte IV – A Vida e os Ensinamentos de Jesus:

O último tema do texto acrescenta mais 76 Documentos para contar a vida de Jesus, conforme registrada pelos seres celestiais que estavam presentes desde a seleção de seus pais, antes mesmo do nascimento, até as suas aparições moronciais após a ressurreição. São proporcionados muitos detalhes não incluídos na Bíblia, inclusive sobre sua infância e os anos que passou viajando e ensinando em outras terras. Das quatro partes do Livro de Urântia, a maioria dos leitores acha que a Parte IV contém as informações mais valiosas, que podem ser aplicadas diretamente às suas vidas, de maneira muito positiva.

O Livro de Urântia tem a característica singular de não ser um livro que se leia uma vez e se ponha de lado. Os leitores acham que, cada vez que relêem um documento, aprendem mais nele do que haviam aprendido antes. Pois à medida que crescem em experiência e suas almas se desenvolvem, novos significados e valores lhes são revelados em relação às leituras anteriores, quando não haviam sido percebidos. Muitos estudantes que começaram a ler o livro em 1955, quando foi inicialmente publicado, ainda o estão lendo 50 anos depois, continuando a aprender com o seu vasto acervo de revelações universais. 
Voltar


   

5. O que é o “Tempo de Correção”?



Nosso planeta, chamado de Urântia pelo restante do universo, não tem recebido a atenção espiritual normal nos últimos 200 mil anos. Durante a Rebelião de Lúcifer em nosso sistema planetário, grandes números de nossos guardiães celestiais se uniram ao nosso Príncipe Planetário, Caligástia. Por um período de sete anos, o Príncipe desleal e 60 membros de sua equipe, bem como outros seres celestiais que se juntaram a ele na traição, tiveram rédeas soltas. Mesmo nessas circunstâncias funestas, os seres celestiais e mortais receberam a oportunidade de decidir por si mesmos se aliavam-se à rebelião ou permaneciam leais a Deus e a Micael. Então o nosso planeta, com o restante do Sistema de Satânia, foi colocado em isolamento. Todos os circuitos de comunicação com o restante de nosso universo local foram cortados para prevenir o alastramento da rebelião. O sistema judicial do universo deu aos malfeitores ampla oportunidade para corrigirem seu descaminho. Durante todo esse tempo os circuitos planetários permaneceram cortados (LU, Docs. 66 e 67).

O julgamento dos rebeldes ocorreu no outono de 1985 e desde então o nosso sistema está sendo lentamente trazido de volta às relações e contatos normais com a administração universal. O “Tempo de Correção” se refere a essa reintegração e ao plano especial de desenvolvimento que pretende levar nosso mundo ao nível de civilização que teríamos atingido, não fossem os efeitos retardadores da rebelião sobre o nosso progresso.

Nas palavras do Instrutor Celestial JarEl:

“O Tempo de Correção é a designação dada a um esforço de Micael (que se encarnou como Jesus) para ativamente trazer a este planeta, Urântia, a Terra em que vocês vivem, o patrimônio espiritual a que tem direito. Esta é uma tremenda tarefa e empreendimento, uma vez que a maior parte da administração e direção dessa tarefa tem lugar no plano invisível. Toda ação em prol desse programa tem lugar aqui no planeta, nas vidas de vocês mortais que hoje estão aqui. Não é esta a primeira vez em que ações espirituais são praticadas neste planeta, para aumentar a dimensão espiritual de seus habitantes.

“Simultaneamente ao julgamento de Lúcifer e ao decreto do Pai no Paraíso para levar-se a cabo a progressiva espiritualização de Urântia, Micael tomou a si a tarefa de estar aqui pessoalmente em Espírito. Com a atuação dos 12 Melquisedeques residentes em seu planeta, sob a liderança de Maquiventa, meu Supervisor, estabeleceu-se uma administração espiritual e um quartel-general para Urântia.

“A concessão ao planeta do Manual-Revelação chamado de Livro de Urântia foi o estágio inicial do Tempo de Correção. Antes de tudo, o Livro foi dado a este mundo para que houvesse um relato acurado da história espiritual e do destino deste mundo; para que os membros de sua sociedade, agora e no futuro, tivessem uma referência para a administração global de autoridade que eventualmente terá lugar neste mundo, em direção à fraternidade global e à religião global de uma só família de irmãos e irmãs vivendo juntos na família de Deus.” Jar-El, Arcádia, Califórnia, EUA, 18 de Julho de 1999.

Nas palavras do Instrutor Celestial JarEl:

“Vocês são os homens e mulheres, os novos instrutores do evangelho de Micael…”

“O Tempo de Correção, do qual a Missão Instrutora é parte, é também parte da Quinta Revelação de Época, assim como a próxima dispensação (elevação das almas) deste planeta. Vocês são os homens e mulheres de que fala o Livro de Urântia, os novos instrutores do evangelho de Micael, da fraternidade de Deus e da fraternidade da humanidade. Vocês são, por sua própria escolha, apóstolos, instrutores, evangelistas. Vocês são o sal da Terra nesta geração. São as testemunhas da Luz do Mundo nestes tempos.” Instrutor Celestial Aaron, no Grupo da Missão Instrutora em Pocatello, Idaho, EUA, 7 de Abril de 2000. 
Voltar


   


6. O que é uma Revelação?

A revelação é uma descoberta ou entendimento pessoal não atingido nem existente antes do momento da revelação. Por meio dela novos conhecimentos e verdades se tornam conscientes para uma pessoa, em processo espiritual ou mental que lhe abre a percepção para o relacionamento entre fatos e verdades sobre o mundo material, sobre uma pessoa ou sobre Deus. A revelação é normalmente considerada como uma experiência religiosa, mas ela é um processo natural que opera na mente, seja no pensamento secular, seja no religioso. A revelação individual requer apenas a presença da mente, para determinar a verdade de fatos experimentados. Entretanto, quando a mente e alguma agência espiritual operam juntas para determinar novos fatos e conceitos, dois outros tipos de revelação vêm à existência: a auto-revelação e a revelação de época.

O que é a auto-revelação?

A auto-revelação provém do Deus interior, que a maioria das religiões reconhece como: Luz Interior, Ajustador do Pensamento, Guia Espiritual, Piloto Interior, Monitor Misterioso e muitos outros nomes. Ela também pode ser um contato de mente entre um ser celestial e um ser mortal, se a mente mortal permitir esse contato. Os profetas e visionários do passado eram provavelmente participantes da revelação pessoal. Alguns cientistas podem igualmente ter-se baseado na auto-revelação para entenderem a natureza da vida e a organização do cosmo. Certos progressos culturais do passado remoto, que afetaram civilizações inteiras, começaram com o raciocínio e a auto-revelação de alguns indivíduos destacados.

O que são revelações de época?

“Como sempre parece acontecer com seres humanos imaturos, quando alguém recebe parte da verdade tende a exagerar essa parte e fazê-la parecer o todo. O Livro de Urântia nunca foi planejado para ficar órfão. A verdade é sempre viva, ela não pode ser cristalizada em um simples livro. O Livro de Urântia contém muitas verdades avançadas, que ajudaram a preparar o caminho para um esforço mais amplo de instrução abrangente, mas não é, certamente, a verdade final ou a revelação final para esse período de tempo. Todo este esforço se destina a preparar seu mundo para eventualmente receber outro Filho.”

Periodicamente, no desenvolvimento evolucionário de um planeta habitado, são necessárias novas compreensões com a ajuda de personalidades divinas, para quebrar a estagnação e estimular o progresso, para religar o homem a Deus, para adiantar a civilização, apoiar o dogma, elevar os costumes, proporcionar correção e permitir a absorção de novos conhecimentos. Os Instrutores Celestiais mencionaram que cada planeta evolucionário, em um momento ou outro, recebe um registro de sua verdadeira história nas eras que ficaram sem registro para os seus habitantes, devido à sua incapacidade de manter registros escritos e duradouros.

Quais são as revelações de época do nosso mundo?

Nosso mundo, que os administradores universais chamam de “Urântia”, tem cinco revelações de época significativas:

  1. Os ensinamentos de Dalamátia;
  2. As lições do Jardim do Éden;
  3. A pregação de Melquisedeque, o Sábio de Salém;
  4. A vida de Jesus de Nazaré; e
  5. A Quinta Revelação de Época.

Esta Revelação atual, destinada a melhorar nosso conhecimento da Deidade e da Criação, ultrapassa largamente as primeiras quatro revelações de época, em conceito e abrangência. Ela utiliza um texto chamado de “O Livro de Urântia” para ensinar os novos conceitos e oferecer uma história do nosso mundo, Urântia, desde antes de sua formação até os dias de hoje. A Quinta Revelação de Época é a primeira grande revelação a utilizar um texto impresso para ensinar novos conceitos em Urântia: Urântia foi escolhida para receber a grande honra de ser o mundo da experiência de auto-outorga de Cristo Micael, Criador do Universo Local de Nébadon. Micael escolheu Urântia devido à grande necessidade de seus habitantes, dada a dupla perda de sua administração espiritual (Dalamátia) e de seu centro cultural (o Jardim do Éden). Urântia sofreu principalmente pela falta de orientação espiritual, devido ao fracasso das duas primeiras revelações. Para manter o conceito de um Deus vivo, um dos Filhos Melquisedeques se voluntariou para encarnar-se à semelhança do homem, há cerca de 4 mil anos, com o propósito de reacender a chama espiritual e manter acesa a luz da verdade. Um dos alunos da referida escola foi Abraão, que continuou a manter vivos os ensinamentos de Salém depois da volta de Maquiventa Melquisedeque às suas tarefas de antes da auto-outorga. Há cerca de 38 mil anos um par de Seres Celestiais (Adão e Eva) foi enviado ao nosso planeta para a elevação biológica de Urântia, seu progresso intelectual e sua reabilitação moral. Nosso Príncipe Planetário, Caligástia, chegou há 500 mil anos, quando havia cerca de meio bilhão de seres humanos primitivos no planeta, espalhados pela Europa, Ásia e África. A missão do Príncipe e sua equipe era fomentar o conceito de civilização. 
Voltar




   

7. Qual é a confiabilidade dos Transmissores/Receptores (T/R’s)?

Todas as transmissões contêm alguns elementos do Transmissor.

Instrutor Ham:

“Você está pedindo que eu verifique a veracidade de uma transmissão, e isso eu não posso fazer. Todos os participantes humanos desta Missão são sinceros e totalmente comprometidos em transmitir o mais alto entendimento que podem obter. Isso dito, todas as transmissões contêm alguns elementos do transmissor. Nenhuma delas está completamente livre do aporte humano.

“Vocês, portanto, devem discernir por si mesmos o que lhes parece verdadeiro neste momento. As transmissões sempre contêm uma mescla da palavra, pensamento ou imagem transmitida, e a interpretação do receptor. A beleza desse processo é profunda, no sentido de que cada pessoa participante deve, ativa e continuamente, utilizar seu próprio discernimento da verdade em cada transmissão.

“Como eu já disse muitas vezes, todos os processos que têm participação humana contêm alguma medida de erro humano. Isso inclui mesmo alguns ícones como a Bíblia e o Livro de Urântia. Por conseguinte, meu filho, confie no Espírito da Verdade, que o conduz, e não no discernimento de outro ser humano. Fique em paz, meu filho, pois você conhece a verdade. Conviva com ela e a siga, pois assim estará muito bem.” Ham, Nashville, Tennessee, EUA, 3 de Janeiro de 2002.

Há dois tipos de causas de erro nas transmissões.

Instrutor Will:

“Quando os transmissores erram, o erro geralmente se situa em duas categorias. A categoria um é daqueles erros espontaneamente gerados pela velocidade do progresso espiritual que está sendo feito durante um evento de transmissão. Em outras palavras, o transmissor se deixa levar por uma eufórica sensação de progresso espiritual. É difícil para nós, nessas ocasiões, exercer qualquer controle sobre o humano arrebatado, senão interromper a comunicação. Em tal situação a natureza animal do humano assumiu o controle. Grandes surtos de emoção humana, sejam de euforia ou medo, por exemplo, são um impedimento poderoso para essa comunicação. A velocidade atingida pelo transmissor muitas vezes leva rapidamente o assunto para áreas não confiáveis ou para o mais claro erro. Pouco podemos fazer para controlar isso.

“Nestas comunicações, como em todas comunicações com outros humanos, você não está livre do dever de usar o bom-senso e a sagacidade. Não deixe de usar sua capacidade normal de julgamento simplesmente porque se lhe diz que essas palavras vêm de Deus. Você bem sabe que o seu Deus jamais lhe pediria algo assim.

“A categoria dois dos erros é quando o medo contamina a transmissão – quando o receptor-transmissor não está plenamente capaz de uma transmissão impessoal. Quando o receptor-transmissor começa a identificar-se pessoalmente com a veracidade da mensagem, um impedimento igualmente insuperável se manifesta contra a livre e acurada transmissão de nossas mensagens.

“Os transmissores não podem nem devem ter crédito pessoal pelo bem ou pelo mal causado pelas palavras que lhes transmitimos em ocasiões como esta. É impossível, para os transmissores, serem responsáveis em qualquer sentido. Como poderia um transmissor ser responsabilizado pelo efeito da mensagem sobre um leitor ou ouvinte desconhecido? Os transmissores estão livres dessa responsabilidade. A identificação da personalidade com a mensagem é uma lamentável tendência humana e não existe em nossa experiência da realidade.

“Para os transmissores que lêem estas palavras, aconselho que neste caso, como em todas as atividades humanas, não temam parar, considerando que um erro tenha ocorrido. Voltem atrás. Se necessário, comecem outra vez. Vocês são valiosos para nós. Sabemos que vocês são incapazes de operar sem erros. O sucesso desta atividade depende em grande medida de sua habilidade individual em reconhecer as fraquezas de suas personalidades, suas próprias predileções arrebatadas e sua habilidade em disciplinar-se. Entretanto, o erro existe. Nós admitimos. Todos nós estamos longe de Havona (os mundos perfeitos em volta do Paraíso), e o erro é uma grande parte da realidade com que lidamos diariamente.” Instrutor Celestial Will, 2 de Janeiro de 1994.

Confirmando a exatidão:

“Havendo dito que os erros de uma transmissão acontecem entre seres imperfeitos, também se deve mencionar que o processo não é totalmente desconfiável. Os que transmitem para grupos são geralmente sinceros, éticos, honestos e estáveis indivíduos bem-treinados…” [Mensagem cortada] 
Voltar

   

8. Quem são os Instrutores?

Quem são as Personalidades Celestiais que atuam como Instrutoras?

As personalidades instrutoras são seres treinados para interagir com seus alunos humanos. Eles procedem de outros mundos evolucionários, onde viveram suas vidas humanas antes de se graduarem nos mundos de mansões. Essas personalidades lecionam daqueles mundos de treinamento, por um processo chamado transmissão-recepção. Outros instrutores participantes são ascendentes não-mortais, tais como anjos, seres intermediários, arcanjos, Deidades do Paraíso e do universo local, auxiliares universais e outras ordens reveladas no Livro de Urântia.

Um dos Instrutores ascendentes, Jar-El, foi consultado sobre o tema dos instrutores e respondeu à pergunta assim:

“Uma das primeiras coisas que Micael fez (em seguida ao julgamento de Lúcifer) foi estabelecer o que se chamou de Missão Instrutora. Ela começou através de contatos entre mortais e seres celestiais. Quando uso o termo “seres celestiais”, estou-me referindo a um grande número de personalidades sob uma só denominação, basicamente seres que não podem ser vistos em contato visual mortal.

“A maioria dos Instrutores que se voluntariaram a vir para cá, assim como eu, foram em algum momento mortais em um mundo evolucionário, e agora estão em alguma parte do programa de ascensão do universo de Nébadon. Eles se voluntariaram a vir para este mundo de forma a assistir Micael na ajuda para que os habitantes mortais deste mundo tivessem uma noção das verdades espirituais básicas.

“O plano é levar este mundo para as idades iniciais de luz e vida, preparando um terreno fértil para algum momento do futuro, quando um Filho Instrutor ou Micael possa de novo aparecer na carne, neste mundo. Seria tolice trazer um ser tão elevado para um mundo sem base espiritual. Assim sendo, a Missão Instrutora foi iniciada para que os mortais pudessem entrar em contato com seus homólogos espirituais, aqueles dentre nós que estamos um pouco adiante de vocês.

“Num certo sentido isto é metafórico, pois quando vocês deixarem este mundo e passarem para os próximos mundos de ascensão, perceberão que aqueles logo acima de vocês lhes passam informações e ensinamentos e vocês, por seu turno, têm a oportunidade de passar informações e ensinamentos para aqueles abaixo de vocês. Este é um processo constante de educação, através do Universo de Nébadon e do Super-Universo de Orvônton. É desta forma que o conhecimento é adquirido. E o conhecimento é ganho pela experiência em primeira mão, pelo compartilhar e passar adiante tais experiências para os que estão logo abaixo de vocês. Nesse contexto, Urântia está tendo acesso ao patrimônio espiritual a que tem direito. O planeta está adquirindo informações sobre assuntos espirituais, de maneira não-invasiva; as prerrogativas de livre arbítrio de cada mortal não são violadas. Vocês não são coagidos a estar aqui ou a nos ouvir, e definitivamente não são coagidos a agir.” Jar-El, Arcádia, Califórnia, EUA, 18 de julho de 1999.

Quem está na chefia da Missão Instrutora e dos Instrutores?

Maquiventa Melquisedeque é o administrador espiritual encarregado da Missão Instrutora e explica sua posição:

“Foi-me dada muita amplitude em relação àqueles com quem trabalho. Tornei-me o dirigente de muitos grupos de seres diferentes. Eu agora comando a lealdade e cooperação dos seres intermediários. Trabalho com vastas legiões de seres dos quais vocês não têm qualquer conhecimento ou entendimento.

“Tenho minha leal equipe de instrutores, muitos dos quais chegaram pouco depois de minha própria chegada ao planeta. Há instrutores que já estão aqui, entre vocês, há séculos inteiros. Eles foram meus precursores neste processo, nesta campanha.

“Continuo a receber novas legiões de instrutores, à medida que mais e mais corações se abrem ao seu oferecimento como companheiros para todos vocês neste planeta. Não estou limitado em relação ao número de possíveis colaboradores em meu trabalho aqui e agora. E na verdade alguns desses instrutores me são enviados de outros mundos, de outras Missões Instrutoras, onde tiveram grande treinamento, e agora oferecem vasto entendimento e experiência a alguns de meus instrutores e colaboradores menos treinados. Recebi grandes possibilidades e numerosas opções para o meu trabalho aqui e para a maneira como conduzirei minhas tropas, meus comandados neste trabalho em seu planeta.” Maquiventa Melquisedeque, conferência “SpiritFest” da Missão Instrutora em Watsonville, Califórnia, 23 de Julho de 1999. 
Voltar

   

9. Quietude: Propósito e Prática

O Propósito da Quietude:

O propósito da quietude é atingir uma sintonia com a presença interna de Deus. A quietude é um processo, e não a chegada à sintonia propriamente dita.

A sintonia é um alinhamento com a vontade de Deus e a porta para uma pacata vida interior, que ao mesmo tempo fortalece a decisão interna de superar com otimismo as dificuldades da vida.

Obter alinhamento com a presença e vontade de Deus não é possível sem algum esforço para coordenar o eu intelectual com o eu espiritual. A prática constante é no início a norma, para estabelecer o hábito diário de 10 a 15 minutos de quietude. Os instrutores celestiais têm enfatizado que, embora haja muitas práticas que ajudam a atingir esse estado, eles recomendam e ensinam a rotina aqui apresentada, que representa as observações de muitos instrutores.

A quietude é apresentada como uma mescla da abordagem oriental e ocidental em relação à espiritualidade, incluindo tanto a meditação quanto a oração. Nos sete passos da quietude, a combinação das tradições conformará uma abordagem unificada a Deus. Da meditação oriental, a quietude compreende três passos de relaxamento físico, quietude mental e escuta em silêncio. Da contemplação ocidental vêm os passos de diálogo com Deus, a oração e a adoração. As tradições, tanto orientais quanto ocidentais, precisam aprender uma com a outra. Cada abordagem complementa a outra e juntas elas trazem maior realização e iluminação.

A abordagem oriental não tem o elemento de relação pessoal com Deus, que permite a experiência de sentir o amor de Deus, além de serenidade e bem-aventurança. A abordagem ocidental não tem a escuta silenciosa, que permite ao indivíduo sintonizar com o espírito interior de Deus e aprender a ouvir e confiar na direção da quieta voz interna.

A quietude é qualquer tempo que você passa com Deus. Entretanto, ela deve ser entendida apenas como aquela fase talvez melhor reconhecida como “escuta silenciosa”. Muitas pessoas podem desejar passar tempo com Deus na quietude, mas sem realmente saberem como ou por onde começar. Para ajudá-lo a começar, a quietude é explicada como um processo de sete passos. Embora esses passos não sejam indispensáveis, eles o podem ajudar muito a concentrar-se em construir sua relação com Deus, incorporando a quietude à sua rotina diária. Com a prática regular, o relaxamento e a quietude da mente podem ser atingidos bem rapidamente.

Prática: Os Sete Passos da Quietude

PASSO 1: relaxamento físico

Estar fisicamente relaxado é muito importante. Caso não esteja, o desconforto e/ou a dor perturbarão sua quietude. Recomendamos sentar-se com os pés apoiados no chão, sem cruzar as pernas e com os braços e mãos confortavelmente apoiados nos braços da cadeira ou soltos sobre as pernas. Respire profundamente por diversas vezes, soltando lentamente a respiração. Deixe o seu corpo descontrair-se completamente. Feche os olhos. Se estiver adequadamente relaxado, você estará consciente apenas de sua respiração, dos batimentos cardíacos e dos seus pensamentos.

PASSO 2: quietude mental

Este passo é talvez o mais difícil. A mente é naturalmente ativa. Os pensamentos sobre as preocupações do dia, os planos para amanhã, até os medos e as ansiedades podem se manifestar. Você deve dizer à sua mente que “fique quieta!” Diga a ela que você deseja passar algum tempo na companhia de Deus e que voltará a esses outros pensamentos mais tarde. Assuma o controle de sua mente. Não se concentre em nenhum daqueles pensamentos. Deixe-os sair ou lhes diga que saiam por enquanto. Se eles voltarem, diga “fique quieta!” e outra vez respire profundamente. Quando sua mente estiver quieta, dirija-a para o espírito de Deus dentro de você. Agora você está pronto a começar um diálogo com Deus.

PASSO 3: diálogo com Deus

Deus é o melhor amigo, o mais sábio conselheiro e o mais amoroso Pai que alguém pode ter. Imagine que está na companhia de Deus e comece a falar sobre seu dia. Compartilhe com Ele as boas experiências e as não tão boas. Comente-lhe as experiências e comportamentos que não entendeu. Compartilhe alguns dos bons momentos, mesmo se eles tiverem sido apenas breves momentos, quando alguém lhe sorriu ou foi gentil com você. Assim como você compartilharia seu dia com um cônjuge ou amigo próximo, compartilhe-o com Deus. Você fala (silenciosamente, é claro); Deus o está escutando.

PASSO 4: oração

Enquanto pensa sobre seu diálogo com Deus e compartilha com Ele as experiências do dia, você acumulará bastante assunto para a oração. Quando vir alguém com problemas, confuso, sentindo-se infeliz ou rejeitado, pergunte-se a si mesmo de que ele ou ela necessita. Então reze para que isso lhe seja dado. Quando vir alguém sem discernimento para uma situação, seja pelo comportamento próprio ou de outrem, reze para que ele ou ela ganhe entendimento. Todos precisam de ajuda, portanto todos precisam de orações. Esqueça os números da loteria e as curas milagrosas, e concentre-se no que vai curar a alma dele ou dela, no que vai levá-los a Deus. Enquanto reza por eles, projete-os em sua mente, cercados de luz e amor.

PASSO 5: adoração

Diferentemente da oração, a adoração não pede nada em troca. Adorar é simplesmente agradecer e louvar a Deus por tudo de bom em nossas vidas. Muitos acham que sua vida não é boa, porque se concentram somente no nível material/físico da existência. Olhe para além desses aspectos e se concentre em um momento de sua vida no qual você esteve agradecido a alguém por ajudá-lo, ou quando alguém esteve muito agradecido a você por tê-lo ajudado. Ao concentrar-se no sentimento de gratidão, perceba que todo bem em sua vida vem de Deus. Agradeça a Ele pelas coisas positivas em sua vida e pela própria vida! Saiba que com o tempo as lutas desta vida passarão e você evoluirá para viver em um universo dominado pela verdade, beleza e bondade.

PASSO 6: escuta silenciosa

Agora escute a Deus. Concentre-se em sua voz interior. Você não ouvirá uma voz tonitruante lhe dizendo o que deve fazer. Nós todos gostaríamos que fosse fácil assim. Atinja a quietude mental. Sinta que Deus está tentando falar com você, mas à distância, portanto Sua mensagem será percebida de forma sutil e fraca. Você poderá achar que não recebeu nada naquele momento. Porém mais tarde, amanhã ou em alguns dias, enquanto leva adiante suas atividades, subitamente uma resposta brilhará em sua mente. Ou alguém poderá dizer as palavras que você precisa ouvir, ou então você poderá ler essas palavras em um livro. Às vezes leva algum tempo para a mensagem de Deus atravessar as camadas de estática da consciência em nossas mentes. Mas esteja certo. Ele vai responder a você.

PASSO 7: o abraço

Conclua a sua sessão de quietude envolto pela presença e amor de Deus. Você não precisa dizer nem fazer nada. Veja-se na mais bela e amorosa situação que já experimentou ou imaginou. Perceba que Deus é o criador desse sentimento amoroso, e que seu destino é viver nesse amor para sempre. Deixe o amor de Deus lavar seus medos e problemas. Veja-se feliz, sorridente e cheio de amor por si mesmo e pelos outros. Se quiser, você poderá encerrar sua sessão de quietude com uma oração ou cantando em silêncio, em sua mente, sua canção de amor favorita. Ao fazer isso, dê-se conta de que Deus é a fonte de todo amor verdadeiro. Ele é o amor em sua vida. 
Voltar